Search

Lewandowski afasta direção de presídio de Mossoró e nomeia interventor

Brasília – O ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, determinou na noite desta quarta-feira (14) o afastamento da atual direção da penitenciária federal em Mossoró, no Rio Grande do Norte, e escalou um interventor para comandar a gestão da unidade.

A medida foi tomada após a fuga de dois presos, identificados como Deibson Cabral Nascimento e Rogério da Silva Mendonça. Essa é a primeira vez que detentos conseguem escapar de um presídio de segurança máxima do país.

O policial penal federal que assumirá o presídio já está na cidade. Ele embarcou para o local com o Secretário Nacional de Políticas Penais, André Garcia. O nome do agente não foi divulgado pela pasta.

Mais cedo, o ministério havia divulgado medidas determinadas por Lewandowski diante da fuga dos detentos. Entre elas, o ministro ordenou uma revisão nos protocolos de segurança das cinco penitenciárias federais do país, abertura de inquérito pela Polícia Federal para investigar a fuga e a inclusão dos nomes dos fugitivos na lista da Interpol.

Obra pode ter facilitado fuga

Os fugitivos foram identificados como Rogério da Silva Mendonça, de 36 anos, e Deibson Cabral Nascimento, também conhecido como “Tatu” ou “Deisinho”, de 34. Ambos são do estado do Acre.

Deibson aparece em 34 processos na Justiça do Acre. Ele responde por crimes como formação de quadrilha, tráfico de drogas e roubo. Rogério responde processos pelos crimes de homicídio qualificado, roubo e violência doméstica.

Eles fugiram do presídio federal de Mossoró entre a madrugada e a manhã desta quarta-feira. Os dois deram entrada na unidade prisional em setembro de 2023 e deveriam cumprir pena até setembro de 2025.

A dupla foi transferida para Mossoró após participar de uma rebelião em um presídio no Acre, em junho do ano passado. As autoridades ainda não informaram como eles fugiram.

Os dois teriam fugido da penitenciária por uma abertura do teto da cela durante o banho de sol dos detentos. O que se sabe até agora é que o local passava por uma reforma, e algumas ferramentas estavam no canteiro de obras. O Ministério da Justiça desconfia que a obra pode ter ajudado na fuga dos presos.

Os detentos fazem parte do Comando Vermelho. O líder da facção criminosa Fernandinho Beira-Mar foi transferido para Mossoró no mês passado. Ele acumula penas que somam quase 320 anos de prisão.

O que dizem as autoridades

“A Polícia Federal foi acionada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública e está tomando todas as providências necessárias para a recaptura dos foragidos e a apuração das circunstâncias da fuga”, disse a Secretaria Nacional de Políticas Penais (Senappen) à Band.

O governo do Rio Grande do Norte informou que entrou em contato com as secretarias de Segurança Pública da Paraíba e do Ceará para reformar a segurança na divisa dos estados.

No Brasil, há cinco penitenciárias federais em funcionamento. Classificadas como presídios de segurança máxima, cada unidade conta com sistema de vigilância avançado com captação de som ambiente e monitoramento de vídeo – material de vigilância que a secretaria afirma ser replicado, em tempo real, para a sede da Senappen, em Brasília.

Fonte: Band

PlayFM - Ao vivo
PlayTV - Ao vivo
Contato

Fale com a gente!