Search

Câmara concede título de Cidadão Honorário ao Senhor Pompilio Luzardo Vieira Lustoza

Ibiporã – A Câmara Municipal de Ibiporã (PR) aprovou, por unanimidade, o Projeto de Lei nº. 015/2023-LE, de autoria dos vereadores Rafael da Farmácia (MDB) e Victor Carreri (União Brasil), que concede o título de Cidadão Honorário de Ibiporã ao Senhor Pompilio Luzardo Vieira Lustoza, pelos relevantes serviços prestados ao Município.

O projeto foi sancionado pelo prefeito José Maria Ferreira (PSD) e se transformou na Lei nº. 3282, publicada no Jornal Oficial do Município de Ibiporã, Edição nº. 1944, no último dia 4, à Página 3.

Segundo os autores, o Projeto de Lei tem a finalidade de justificar e solicitar, em nome de toda a comunidade de Ibiporã, o reconhecimento do Sr. Pompilio Luzardo Vieira Lustoza, pessoa cuja vida e contribuições marcaram de forma profunda e inspiradora os caminhos de nossa Cidade. Sua trajetória de dedicação e empreendedorismo é digna de título de Cidadão Honorário de Ibiporã.

Filho de Luis Lustosa dos Santos e de Deolinda Vieira Lustosa, foi o sétimo filho de uma família de 11 irmãos. Nascido em 11 de novembro de 1938, na cidade de Palmas/PR, onde passou a sua infância e ainda serviu ao Exército Brasileiro nos anos 1957/1958. Chegou a Ibiporã em 13 de fevereiro de 1959, quando veio a morar com o seu irmão Luiz Carlos Vieira Lustosa, em uma residência situada na Avenida José Bonifácio, onde reside até os dias de hoje.

Ao chegar a Ibiporã com seus 20 anos, Pompílio concluiu o ensino científico no Colégio Estadual Vicente Rijo e, inicialmente, passou a trabalhar no Cartório de Registro Civil desta Comarca, juntamente com seu irmão Luiz Carlos Vieira Lustosa. Sequencialmente, no ano de 1964, formou-se técnico em Contabilidade pelo Colégio Comercial Estadual do Paraná, tendo inclusive, composto a primeira turma de formandos dessa escola técnica.

Pompílio, ainda no ano de 1964, prestou concurso público para o cargo de Auditor Fiscal do Paraná, tendo sido aprovado e nomeado conforme publicação no Diário Oficial da Justiça nº. 151, de 03/09/1964, sendo que exerceu tal cargo com extrema maestria e competência.

Contudo, não satisfeito, Pompílio, apaixonado pelo ensino e pela dedicação, buscou ampliar ainda mais a sua formação acadêmica, consequentemente graduando-se em Licenciatura em Geografia pela Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Londrina, antiga Universidade Estadual de Londrina-UEL (1965-1968).

Deu início a sua brilhante trajetória como professor no Colégio Estadual Olavo Bilac de Ibiporã, em 1971, porém, sua carreira no magistério não se limitou a educação básica, Pompílio chegou a lecionar na graduação em geografia na Faculdade Estadual de Filosofia, Ciências e Letras de Londrina durante o ano de 1969, onde havia se formado; bem como no curso preparatório do Instituto Filadélfia de Londrina nos anos de 1981/1982.

Apesar de tudo isso, foi o ensino aos alunos desta comunidade no Colégio Estadual Olavo Bilac que realmente cativou seu coração. Pompílio lecionou por mais de duas décadas nessa instituição como professor de história e geografia, marcando e influenciando a formação intelectual educacional e pessoas de gerações de ibiporaenses com seus preciosos ensinamentos como professor e também como secretário e diretor do Colégio.

Durante a sua profissão no magistério, em data de 18 de abril de 1974, Pompílio foi ainda nomeado para o cargo de Assistente Educacional do Município. Foi nessa oportunidade que o educador, também presidente da organização, compôs parte do Quadro Próprio do Magistério, cujo ingresso somente é permitido a normalistas que, nos estabelecimentos oficiais de ensino, alcançaram a necessária qualificação profissional e o alto nível necessário do desempenho de sua nobre missão.

Também durante a sua função, Pompílio foi capaz de elaborar o primeiro Estatuto do Magistério Municipal, tendo ainda sido responsável pela criação, organização e elaboração do primeiro concurso público para a contratação de professores municipais. Os professores, antes nomeados por critérios puramente subjetivos, passaram a ser escolhidos com base em sua classificação e aprovação, por meio de um método muito mais transparente, graças ao esforços do Pompílio, que além de propor e elaborar a mudança, foi ainda encarregado pela contratação da instituição que iria elaborar as provas, pela organização de sua aplicação e pela própria relação dos aprovados.

O professor Pompílio, sempre em busca de conhecimentos, ainda obteve uma segunda graduação, tendo se formado Bacharel em Direito pela Universidade Estadual de Londrina no ano de 1984 e, subsequentemente, sido habilitado pelo Exame de Ordem dos Advogados do Brasil em 1985. A partir desse momento, passou a aplicar seus conhecimentos para auxiliar os cidadãos Ibiporaenses também fora das salas de aulas, agora em um aspecto legal e jurídico.

Contudo, além do serviço público no magistério e dos seus serviços advocatícios, Pompílio também contribuiu com importantes marcos e adições ao Município, tendo sido um dos fundadores da Biblioteca Municipal de Ibiporã.

Como fica claro, o professor e advogado sempre esteve lutando para possibilitar e ampliar o acesso ao conhecimento e a informação, relatando ainda que, para a concretização da criação desse atual marco histórico e educacional, esse precisou ir em busca de doações para a aquisição de livros (projeto “O Amigo da Biblioteca”), que eram inicialmente comprados na cidade de Bauru/SP.

Além disso, demonstrando mais uma vez o seu empenho em possibilitar o acesso à educação em permitir a formação de centenas de estudantes, Pompilio ainda é recordado pela sua enorme contribuição na fundação do Colégio Campos Sales. O Colégio, que fornecia um ensino supletivo a mais variada gama de estudantes, foi criado graças aos esforços do Pompílio que, na época fundador e presidente da Associação Educacional de Ibiporã (AFDI), inspirou e possibilitou a concretização dessa instituição.

O professor Pompílio se aposentou com 30 anos de serviços públicos, tendo sido um atuante ávido na formação histórica, educacional e cultural da cidade de Ibiporã e de seus habitantes. Suas contribuições ultrapassam os aspectos físicos e materiais, indo além do seu legado deixado pela contribuição na criação e implementação de estatutos e instituições, e alcançando toda uma geração ibiporaenses marcada por seus ensinamentos e valores.

Casado desde 20 de julho de 1961, Pompílio teve duas filhas com a sua amada esposa Marli Mathilde Bruschi Lustosa. As duas nascidas em Ibiporã, também acabaram por seguir os passos do pai no serviço público; Regina Elizabeth Lustosa Strozzi, formada em odontologia, ainda exerce a função de dentista como funcionária municipal desta cidade, e Roselaine Deolinda Lustosa, agente educacional vinculada ao Estado do Paraná.

Nos dias de hoje, Pompílio ainda possui um legado familiar de cinco netos e uma bisneta, os quais também carregam consigo todos os ensinamentos, orgulho e o carinho que os cidadãos de Ibiporã tem pelo seu eterno e professor.

PlayFM - Ao vivo
PlayTV - Ao vivo
Contato

Fale com a gente!